Comentários de Autoridades Musicais no Exterior

ESTADOS UNIDOS

…interpretou, com grande qualidade técnica e de forma bastante expressiva, as obras do programa. A sua brilhante apresentação atingiu o público presente de forma significativa, tendo criado momentos de grande emoção.

Martha C. Antunes, Setor Cultural da Embaixada Brasileira, Washington D.C.

…sua performance foi fantástica, e ela conseguiu trazer-nos um novo e maravilhoso enfoque a respeito das obras que tocou, graças a seus excelentes comentários e seu grande conhecimento de música.
Jack L. Eaton, Diretor, Butler University, Indianapolis.

…a qualidade de sua apresentação nos trouxe, com certeza, um dos mais entusiasmantes eventos culturais já realizados em nosso Campus.
Charles Banet, Presidente, Saint Joseph’s College, Indiana.

…com sua maravilhosa musicalidade, trouxe muito prazer a seu atento público, que expressou seu entusiasmo aplaudindo de pé, atitude raríssima em nosso meio.
George Sanders, Diretor, Eastern Illinois University.

ALEMANHA

…poder ouvir e apresentar uma pianista do seu gabarito é fazer do nosso trabalho de organizadores uma tarefa que só nos dá prazer.

Anne Chalegre-Mueller, Diretora, Chalegre-Mueller Promotion, Colônia.

…a excelente interpretação das composições de Villa-Lobos pela pianista, forneceu-nos reconhecida ajuda para a compreensão do potencial da música brasileira.
Andreas Gress, Diretor, Kodály-Chor, Hamburgo.

…a pianista proporcionou para o auditório uma noitada memorável.
Christian Bährens, Escola de Música Wilmesdorf, Berlim.

…é uma artista incomum, tocou para um público seleto, e recebeu aplausos entusiasmados.
Peter Ungelenk, Diretor, Jugendmusikschule, Schwenningen.

…o Seminário de Música teve um desenvolvimento pedagógico e musical excepcionalmente bom, e a pianista Olinda Allessandrini, por sua liderança e colaboração, conseguiu grande reconhecimento.
Adolf Lang, Diretor da Internationaler Arbeitkreis für Musik, Bonn.

 
Comentários

“Olinda Allessandrini sente-se à vontade também no repertório virtuosístico europeu, o que foi comprovado pela execução estilisticamente excepcional da 1ª. Valsa Mefisto, de Liszt, e da paráfrase sobre “O Danúbio Azul”, de Schulz-Evler, hoje raramente tocada.”

Klaus Ross, “Sonoridades da Alma Brasileira”, Rhein-Neckar-Zeitung / Feuilleton, 14.01.14